Evolução dos preços imobiliários

Evolução dos preços do imobiliário em Lisboa

2014 foi o ano de viragem para o setor imobiliário português

 

Os preços das casas na área de Grande Lisboa apresentaram uma evolução positiva na ordem dos 4,4%, de acordo com o estudo “Mercado Habitacional em Portugal 2005-2015” apresentado pela Prime Yield, consultora de ativos imobiliários. Este estudo tem como objetivo fazer um levantamento do panorama habitacional dos últimos dez anos.

 

2014 foi o ano de viragem para o setor imobiliário português, que determinou a inversão da tendência do declínio do setor em termos de preços no mercado de compra e venda, na queda das transacções e do investimento imobiliário. O setor da habitação em Portugal tem sido marcado por várias oscilações desde 2005 no que toca ao preço dos imóveis, devido às rigorosas alterações legislativas no regime jurídico, restrições no crédito à habitação e à crise económica nacional em 2008.

 

A área metropolitana de Lisboa apresentou, em 2015, uma valorização no preço médio das casas em 4,4% quando comparada aos valores de oferta em 2005. Há dez anos, no início de 2005, o valor médio do m2 na Grande Lisboa era de 1268 euros, aumentando para 1324 euros por m2 no primeiro trimestre de 2015.

Gráfico preços por metro quadrado de venda em Lisboa

O mercado habitacional português tem uma baixa volatilidade, sendo que os preços nunca cresceram mais de 8,6% na média anual nem atingiram máximos negativos maiores do que -8,1% ao longo dos últimos dez anos. Na Grande Lisboa a maior subida verifica-se em 2015 em 8,6% (1324 euros por m2) face ao ano anterior (1210 euros/m2). Desde 2005, o maior declínio de preços observado nesta área verificou-se em 2012 com uma queda de 8,1% relativamente ao ano anterior (de 1130 euros/m2 para 1210 euros/m2).

 

De 2005 a 2008 a tendência foi de aumento dos preços em Lisboa, sendo que a partir desse ano e até 2011 se verificou uma manutenção da oferta de preços. De 2011 e até finais de 2012 deu-se um decréscimo exponencial na média de preços das habitações, devido à queda de poder de compra e à retração de consumo causadas pela crise financeira. Em 2013 verificou-se uma recuperação da tendência de crescimento, embora abaixo dos preços registados entre 2005 e 2008.

 

 

Fonte do gráfico: Nuroa