Construção de casas aumenta no último trimestre de 2016

Construção de Casas
Posté par Inês ALMEIDA Il y a 10 Mois
Catégories :
Imobiliário Portugal

O ritmo da construção de casas promete aumentar em Portugal

 

O setor da construção de casas deu sinais de recuperação no último trimestre de 2016. De acordo com a Federação Portuguesa da Indústria da Construção e Obras Públicas (FEPICOP), registou-se “uma evolução positiva dos diferentes indicadores” nos últimos três meses do ano passado, assim como “reforçaram-se as boas expectativas para a evolução da produção do setor da construção de casas para 2017”.

 

Para este cenário positivo contribui o crescimento na produção na construção, que registou uma evolução homóloga de 1,7%, tanto no investimento em construção como no VAB do Setor. O emprego na área da construção de casas também aumentou, ultrapassando os 300 mil e registando um acréscimo de 6,7% em termos homólogos. Em termos anuais, o crescimento foi de 4,5%, o que corresponde a mais 289 mil pessoas a trabalhar no setor em 2016.

 

Este crescimento na construção de casas também abrange as obras públicas, com o mercado a mostrar um maior dinamismo também no último trimestre de 2016. Registaram-se crescimentos homólogos de 69% e de 130% no número e valor de obras lanças a concurso. Ao passo que em Setembro registou-se uma evolução positiva de 19% e 16%, respetivamente. Também nos contratos realizados se registou um acentuado crescimento homólogo.

 

Ao nível do licenciamento de obras, também se notam melhorias, registando-se um aumento acentuado nas obras privadas. Este cresceu, em termos homólogos, 37,5% em número de novos fogos habitacionais e 24% em área, no que diz respeito à construção de novos espaços não residenciais ao longo do ano passado.

 

Centro Histórico de Lisboa

 

Preços acompanham crescimento do setor

 

O preço das casas no centro histórico de Lisboa subiu 10% no segundo semestre de 2016 relativamente ao semestre anterior, uma tendência que se verificou no primeiro semestre do ano, quando a valorização semestral foi de 8%. No total do ano passado, o preço dos imóveis registou um aumento de 19% quando comparado com o ano anterior.

 

Esta tendência tem-se verificado já há cinco semestres ininterruptos, resultando numa subida média de 46% nos preços nos últimos dois anos. Esta zona tem valorizado mais que as restantes da capital, que nos últimos dois anos registou uma valorização de 36% nos preços do imobiliário.

 

Fonte: Idealista