Venda de imóveis está a aumentar e o Estado sai a ganhar

Venda de Imóveis
By Inês ALMEIDA . 3 years
Categories :
Últimas Notícias

A venda de imóveis tem dado frutos ao Estado através dos impostos IMT e IMI

 

O crescente dinamismo que se tem feito sentir no setor imobiliário, em particular com a venda de imóveis em valores máximos desde o ano de 2010 (perto de 130 mil), está a contribuir para engordar os cofres do Estado. Nos primeiros seis meses de 2016, apenas o Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) registou uma taxa de crescimento da receita em 23,6% relativamente ao período homólogo do ano anterior.

 

Num plano geral, as autarquias portuguesas encaixaram mais de 1150 milhões em Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI). Os dados da última Síntese da Execução Orçamental, relativa a Junho de 2017 refletem “o maior dinamismo do mercado imobiliário, segundo destaca a Direção Geral do Orçamento (DGO), confirmando os resultados do Instituto Nacional de Estatística (INE), que deixam claro que não só aumentou o número de imóveis vendidos mas também o valor das vendas nos primeiros três meses de 2017.

 

Os resultados dos primeiros seis meses deste ano deixam prever números recordes em receita de impostos sobre o património português, que já superam 2016. Recorde-se que o ano anterior já tinha registado os valores mais altos desde 2010, em desde de IMT. A Direção Geral do Orçamento (DGO) revela, também, que de Janeiro a Junho deste ano, a receita fiscal da Administração Local cresceu 10,1 pontos percentuais, um aumento que se deve essencialmente aos contributos do IMT, cuja taxa de crescimento foi de 23,6% e a do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI), que cresceu 3,8%.

 

Em seis meses, o Imposto Municipal sobre as Transmissões Onerosas de Imóveis (IMT) e o Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) somaram 1150, 6 milhões de euros dos quais as vendas de imóveis representam 420 milhões e os impostos sobre a detenção de património imobiliário representam 730,6 milhões de euros.

 

Fonte: Idealista