Há mais brasileiros a comprar moradias de luxo em Cascais

Brasileiros em Cascais
Posté par Inês ALMEIDA Il y a 2 semaines
Catégories :
Imobiliário Portugal

A procura de moradias em Cascais disparou devido ao interesse dos brasileiros

 

A procura de moradias de luxo em Cascais e Oeiras aumentou, especialmente devido aos cidadãos brasileiros que lideram as vendas a investidores estrangeiros, optando cada vez mais por investir no imobiliário em Portugal. O valor médio por transação é de 1,3 milhões de euros, um valor bem mais elevado que os 460 mil euros que os portugueses pagam, em média, por uma casa nesta zona.

 

“Em 2016 estávamos a vender muitos apartamentos na zona de Cascais, mas nos primeiros sete meses deste ano as moradias têm ganho destaque", afirmou Rafael Ascenso, diretor-geral da Porta da Frente/Christie’s, citado pelo jornal Diário de Notícias/Dinheiro Vivo. “Há famílias inteiras de brasileiros a mudar-se para Portugal e a escolher a zona de Cascais para viver”.

 

Nos primeiros seis meses deste ano, a Porta da Frente/Christie’s fechou 64 negócios em Cascais e 14 em Oeiras. Do total de vendas realizado em Cascais, os brasileiros representam 21% das transacções, sendo já uma das nacionalidades que mais cresce. "Se em volume representam 21% dos negócios, em valor de transações representam muito mais", acrescenta Rafael Ascenso.

 

Nos contratos celebrados pela Porta da Frente/Christie’s em Cascais, os brasileiros pagam, em média, 1,3 milhões de euros por moradia, um valor substancialmente acima dos 460 mil euros pagos na média pelos portugueses. De acordo com Rafael Ascenso, este valor tem vindo a aumentar, sendo a classificação dos imóveis vendidos uma das razões, pois as moradias têm gerado maior preferência relativamente aos apartamentos.

 

O interesse dos brasileiros no imobiliário português já não é novidade, no entanto, de acordo com os dados da Associação dos Profissionais e Empresas de Mediação Imobiliária de Portugal (APEMIP). Em 2016 foram a terceira nacionalidade que comprou mais casas em Portugal, depois dos franceses e dos ingleses, o que corresponde a um aumento de 10% relativamente ao ano anterior.

 

“Durante os últimos anos o interesse destes investidores brasileiros mudou muito. Começaram por olhar para o imobiliário em Portugal como fator de diversificação de investimentos e, agora, muitos estão a trocar o Brasil por Portugal e a trazer as suas famílias”, explicou Rafael Ascenso ao Diário de Notícias. Segundo a publicação, no consulado de Portugal em São Paulo os pedidos de cidadania confirmam este crescente interesse, estando a ser atribuídas 820 cidadanias novas mensalmente.

 

O interesse crescente dos cidadãos brasileiros pelo imobiliário português deve-se a vários fatores, como os preços das casas, mais em conta que os verificados em Miami, nos Estados Unidos da América (um dos destinos de eleição dos brasileiros), e aos benefícios fiscais obtidos a partir dos vistos dourados. Desde que surgiram os vistos gold, já foram atribuídos 5243 vistos de autorização de residência para quem investe no imobiliário português, sendo que a China é responsável por 3472 destes e o Brasil por 432.

 

Fonte: Diário de Notícias