Arrendar quarto em Portugal hoje é 8% mais caro que em 2016

Arrendar Quarto
Posté par Inês ALMEIDA Il y a 3 Mois
Catégories :
Imobiliário Portugal

Já não são só os estudantes a optar por arrendar quarto em Portugal

 

O mercado de arrendamento está mais dinâmico em Portugal, especialmente entre os mais jovens. Os preços dos quartos acompanham o dinamismo na subida de preço. De acordo com o estudo realizado pelo portal Idealista, arrendar quarto em Portugal é hoje 8% mais caro do que era há um ano atrás (relativamente a Agosto de 2016), com o preço médio mensal a rondar os 238 euros.

 

O interesse pelo arrendamento de quartos quintuplicou o número de pesquisas realizadas no último ano, sendo que há cada vez mais procura neste segmento de mercado. Os aumentos de rendas mais avultados fizeram-se sentir nos principais distritos do país. A maior subida anual deu-se no Porto (15,2%), seguido de Lisboa (14%) e Coimbra (6%).

 

A zona do país em que fica mais caro arrendar quarto é mesmo a capital, com um custo médio mensal de 308 euros mensais. Este valor é superior ao verificado no Porto (242 euros mensais) e em Setúbal (222 euros). Os distritos mais acessíveis para arrendar quarto, por seu turno, são Santarém (185 euros), Coimbra (183 euros) e Leiria (169 euros).

 

Segundo o Idealista, os inquilinos que optam por partilhar casa, arrendando apenas um quarto e não uma casa, têm em média 33 anos e vivem no centro das grandes cidades. Regra geral não fumam, apesar de serem tolerantes com quem o faz, e não têm nem permitem animações de estimação.

 

A idade média dos habitantes de uma casa partilhada varia consoante a zona geográfica, sendo Santarém e Setúbal os distritos com a média mais alta, a rondar os 37 anos de idade. Em Lisboa a média é de 36 anos e no Porto é de 30 anos apenas. Já em Coimbra, uma cidade predominantemente estudantil, a média de idades é mais baixa, fixando-se nos 28 anos.

 

Das casas onde é possível arrendar um quarto, 84% são mistas, ou seja, podem ser habitadas por ambos os sexos. Em 13% destas vivem apenas mulheres e em 3% unicamente homens. Os dados do Idealista também mostram que o arrendamento de quarto já não é só uma opção de estudantes, mas também eleita por jovens nos seus primeiros anos no mercado de trabalho e em alguns casos até mais tarde.

 

 

Fonte: Idealista