Prepare-se, a renda da sua casa vai subir novamente

Renda da Casa
Par Inês ALMEIDA Il y a 4 Mois
Catégories :
Últimas Notícias

A renda da casa vai sofrer o maior aumento registado nos últimos cinco anos

 

O arrendamento continua nas bocas do mundo: não há oferta para tanta procura e os preços dispararam ao longo do ano em Portugal. Além disso, as rendas vão voltar a subir em 2018. Este vai ser o maior aumento registado nos últimos cinco anos, desde 2013. Vai ser uma subida de 1,12%, de acordo com o coeficiente de actualização de renda do INE, para os contratos posteriores a 1990. Por exemplo, por cada 300 euros de renda somam-se €3,90, ou por cada 600 euros acrescem €7,20. Esta atualização é feita de acordo com o pré-estipulado no contrato de arrendamento, havendo total liberdade para os senhorios e os inquilinos definirem a forma e a data em que as rendas são revistas.

 

Relativamente às rendas antigas, que ainda não tenham sido sujeitas a atualização, o aumento entra em janeiro. Em nenhum dos casos o senhorio é obrigado a atualizar o valor, sendo que tem de notificar o inquilino caso o queira fazer. Do aumento estão dispensadas as rendas anteriores a 1990 que tiverem sido sujeitas ao mecanismo de actualização extraordinária previsto no Novo Regime de Arrendamento Urbano (NRAU), que se encontra em vigor há cinco anos.

 

Estas subidas constantes do preço das rendas, assim como a falta de oferta disponível, fazem com que Portugal continue a ser essencialmente um país de proprietários. As rendas são muitas vezes superiores ao valor das prestações mensais de um crédito à habitação, o que leva muitas pessoas a optar por comprar casa. Dá-se também o caso de muitos senhorios estarem a mudar de ramo de negócio, como é o caso do Alojamento Local, o que também ajuda a tirar mais casas do mercado de arrendamento.

 

Comprar casa ou arrendar continua a ser uma decisão muito pessoal e é difícil dizer qual é a opção mais correta. Depende de caso para caso. Pode sempre optar pela modalidade de arrendamento com opção de compra, que lhe permite ganhar algum tempo antes de tomar uma decisão. A verdade é que arrendar casa está a ficar cada vez mais difícil. Em Portugal há cada vez menos casas no mercado de arrendamento tradicional, sendo que as que sobram têm um custo cada vez mais elevado para os inquilinos.

 

Fonte: Jornal Económico