Semana da Reabilitação Urbana começa em Lisboa a dia 9

Semana da Reabilitação Urbana
Par Inês ALMEIDA Il y a 9 mois
Catégories :
Últimas Notícias

“Ao todo são mais de duas dezenas de conferências, seminários, workshops, exposições e oficinas infantis”

 

A Semana da Reabilitação Urbana  vai decorrer novamente na capital portuguesa, a partir da próxima segunda-feira, dia 9 de abril, no Pátio da Galé, no Terreiro do Paço. A 5.ª edição do certamente termina no dia 15 de abril. Esta vai incluir conferências, workshops, exposições e seminários, sendo coorganizada pela Vida Imobiliária e pela Promevi, com o apoio da Câmara Municipal de Lisboa e da ATL- Turismo de Lisboa.

 

“Ao todo são mais de duas dezenas de conferências, seminários, workshops, exposições e oficinas infantis, que envolvem a participação de perto de 130 intervenientes e mobilizam 85 empresas, associações e ordens profissionais, faculdades, entidades públicas e organismos estatais, governo central e autárquico”, diz a organização em comunicado.

 

O palco principal vai ficar novamente no Pátio da Galé, mas algumas das iniciativas da Semana da Reabilitação Urbana  vão decorrer também na Sala do Arquivo da Câmara Municipal de Lisboa, nos Paços do Concelho, na sede do LNEC, na zona de Alvalade, e na Escola Básica Maria Barroso, no Chiado.

 

A iniciativa começa na próxima segunda-feira, dia 9, pelas 15h00 e a inauguração vai contar com as presenças do Ministro do Ambiente, João Pedro Matos Fernandes, do presidente da CPCI, Manuel Reis Campos, e do diretor da Vida Imobiliária, António Gil Machado.

 

Uma das conferências que se destaca na programação desta edição da Semana da Reabilitação Urbana é a “Conferência Internacional da Promoção Imobiliária – Os Fazedores de Cidade”, da Associação Portuguesa de Promotores e Investidores Imobiliário (APPII). “Trata-se de uma estreia absoluta no país, à qual está reservado um dia completo de trabalhos (12 de abril) e que promete reunir alguns dos maiores e mais importantes promotores e investidores imobiliários da Península Ibérica.”

 

 

Fonte: Idealista